quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Moda no Metrô

Moça com terninho: - Menina vai ter palestra com a Glória Khalil no auditório esse mes. Fulana disse que queria ir.

(Meus pensamentos: Você deveria ir junto, por que com esse terninho de 5a, com os botões pulando pra fora de tão apertado e esse 'ticido'... esquadrão da moda já!)

E o papo desenrola para:

Moça com terninho: - Por que quando eu fui pra São Paulo, Sicrana disse: Me disseram que vinha uma moça trabalhar aqui que veste térninhu (a moça é Baiana). É isso que importa pra eles.

Amiga da moça do terninho: - Ah mas no meu departamento não dá né, carregar aquele monte de arquivo pra lá e pra cá.

Moça com terninho, totalmente envolvida em si: - E aí quando eu vim pro Rio, disseram que vinha uma moça que trabalha de térninhu.

Constatação: GATA, se liga, você está andando de térninhu, para cima e para baixo e continua sendo caixa de banco, já foi pra SP pro RJ e continua com seu térninhu atendendo público! ME POUPE!

Moça com terninho: - Mas por que aqui no Ríu as pessoas são muito déspojádas, em Salvadô, ninguem sai di bérmuda a nôiti, nem di sandália rásterinha. A gente sai de calça e iscarpã.

Constatação 2: Filha volta pra Bahia com todo seu esplendor. E deixe a gente aqui de short, bermuda, sainha e havaianas.

Gente chata, deixa o carioca em paz, a gente gosta desse 'desleixo' que não é desleixo nenhum, é tudo muito calculado, pra PARECER saí de casa de qquer jeito, mas na verdade demoramos horas pra escolher qual havaina combina com qual bikini e bolsa. ;)

E falando nisso, está na hora dessa chuva parar, não aguento mais roupa e sapato fechado, guardachuva, andar de taxi... CADÊ O SOOOOOL?

Cames

5 comentários:

Marcia Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anonímia disse...

Gata,

Desleixo é o que há!

Outro dia saí com umas amigas para almoçar e decidi vestir um casaco 7/8... achei que estava abafando...
Nunca fui tão vaiada...

Abafei mesmo, com o calor de 30 e muitos graus de um lindo domingo de sol...

No Rio comer comida baiana de seteoitavos é quase ofender a família alheia.rs

Carioca da gema como sou, odeio desafiar as minhas raízes. No próximo vou de havaianas e uma boa e velha regata. (Já consigo imaginar os elogios).

Carioca não quer abafar, quer refrescar!

Bisous,

Miss X disse...

Eu até entendo, mas ninguém respeita os hábitos dos paulistas, aí fica difícil....

bjs

Anonímia disse...

Papo de roupa nunca dá IBOP, porque?

Mabel disse...

O interessante é q a mulher q é baiana nessa conversa ,realmente, ela foi preconceituosa com os cariocas, mas a maneira como vc rebateu o preconceito, na maneira como vc descreveu a situação tb pareceu ser bem preconceituosa somente pelo fato dela ser baiana em certos momentos no texto tinha comentários q davam a entender preconceito pra quem luta a todo momento contra o preconceito parece q vc está comentendo um nesse texto, é chato ter q ler um texto desses aqui e ainda mais pra mim q sempre leio o blog e normalmente adoro os textos.
Bom eu sou baiana com muitíssimo orgulo e assim como os cariocas tem baianos q andam 'desleixados' o desleixo não depende se a pessoa é baiana, carioca ou paulista vem do jeito de cada ser humano e que ainda bem somos todos HUMANOS portanto iguais